O Atirador Brasileiro é “O CARA”

O atirador Brasileiro é o cara que se desdobra para conseguir uma infinidade de documentos tendo que praticamente provar uma certa ‘’santidade’’ para tirar o CR ou registrar sua arma, pegando informações de órgãos públicos para serem entregues a outros órgãos públicos, burocracias excessivas para fazê-lo desistir, ainda pagando taxas exorbitantes e serviços extremamente caros para despachantes, pois a maioria dos atiradores trabalham em horário comercial e não conseguem ir pessoalmente até as Delegacias  para realizar os trâmites.

O atirador Brasileiro é o cara que precisa cumprir todas as regras e prazos sem atrasar um dia sequer, mesmo sabendo que a parte reguladora não faz questão de cumprir seus prazos e sequer dão satisfações sobre a demora.

O atirador Brasileiro é o cara que é obrigado a pagar um ano de filiação em um Clube de tiro mesmo sabendo que não poderá usar, pois um ano é o tempo médio  em que o atirador espera para que tenha sua primeira arma em mãos.

O atirador Brasileiro é o cara que mesmo depois de ter esperado um tempo enorme e ter pago uma boa quantia em dinheiro para ter o documento de autorização (CR), ainda precisa pagar mais para perguntar ao exército se poderá comprar determinada arma, (autorização de compra de equipamento ou insumos).

O atirador Brasileiro é o cara que é obrigado a confiar em um estranho para vistoriar sua casa, e ver onde e como você guarda suas armas e equipamentos, pois o exercito não confia em você, mas você tem que confiar nele.

O atirador Brasileiro é o cara que paga valores exorbitantes em impostos para adquirir armas e insumos sem poder fazer escolhas, pois só há uma fabricante autorizada a vender e outra fabricante que não se importa muito em vender.

O atirador Brasileiro é o cara que precisa estar atento às regras, pois as Normas e Portarias mudam ao sabor do vento, podendo transformá-los em ‘’criminosos’’ da noite para o dia.

O atirador brasileiro é o cara que mesmo tendo DIREITO AO PORTE, previsto em Lei, não podem usufruir por questões políticas, e acabam ficando a mercê dos criminosos e das conveniências das ‘’autoridades’’ que desconhecem e não fazem questão de conhecer e ou cumprir as leis.

O atirador brasileiro é o cara que fica feliz pagando R$ 1,50 em uma cápsula vazia e usada enquanto uma munição NOVA nos EUA custa centavos, munição que muitas vezes foi importada pela única fabricante de munições do país.

O atirador brasileiro é o cara que caso queira algum equipamento importado com uma maior qualidade precisa desembolsar o valor de um carro em impostos e esperar uma eternidade até que o produto seja liberado para ser enviado ao país.

O atirador Brasileiro é o cara que tem que se virar com o que tem, pois o órgão regulador se esforça para restringir qualquer tipo de inovação e tecnologias, impondo burocracias que impossibilitam a fabricação e ou melhora dos equipamentos, desestimulando qualquer tipo de ideias ou projetos de empreendedores ligados ao tiro no Brasil.

O atirador Brasileiro é o cara que se diz ‘’tático e corajoso’’ mas se cala diante de todos esses abusos e ainda se diz “privilegiado”.