03 de Agosto Dia do Atirador Esportista

Em 3 de agosto de 1920, Guilherme Paraense, nascido em Belém-PA, ganhava a primeira medalha de ouro olímpica para o Brasil, nas olimpíadas da Bélgica/Antuérpia.

O tenente Guilherme Paraense (1884–1968) foi o primeiro atleta brasileiro a conquistar uma medalha de ouro olímpica para o país, na modalidade tiro esportivo, nos VII Jogos Olímpicos de Verão, em Antuérpia (Bélgica), em 1920. Naquele ano, o tenente, junto com outros 20 esportistas, fez parte da primeira delegação brasileira a disputar uma edição dos Jogos.

Nascido em Belém do Pará, no dia 25 de junho de 1884, Paraense foi ainda menino para o Rio de Janeiro, onde, aos 5 anos, começou a frequentar a Escola Militar de Realengo. A prática do tiro era exigida no exercício de suas atividades como militar. Sua tranquilidade o fazia atirar com mão firme, invariavelmente acertando o alvo, independente do formato que tivesse.

Seus atributos logo lhe renderam conquistas: no final da década de 1910, o tenente foi campeão brasileiro e também sul-americano na modalidade tiro com revólver. Em 1914, junto a um grupo de atiradores, fundou, no Rio de Janeiro, o Revólver Clube, destinado a conferir maior atenção à prática do tiro esportivo, que vinha ganhando um número crescente de adeptos. O clube favoreceu a realização de torneios e aprimorou o desempenho de atletas dedicados à modalidade.

 

Diante dos resultados, Paraense foi convidado a compor a primeira equipe brasileira de tiro, que partiu rumo a Antuérpia com parcos recursos, numa viagem que durou 28 dias a bordo de um navio mercante cedido pelo governo federal. Numa escala em Portugal, a equipe de atiradores decidiu seguir de trem até a Bélgica, pois o navio não chegaria a tempo do início da competição. Na prova de pistola de tiro rápido individual, em um campo aberto e com muito vento, o tenente marcou 274 pontos dos 300 possíveis, ficando apenas 2 pontos à frente do 2 ºcolocado. A conquista inédita da medalha de ouro entrou para a história do esporte brasileiro.